O Oscar dos quatro cantos do planeta

A noite da 81ª edição do Oscar foi marcada por uma infinidade de sotaques. Tanto o tradicional inglês impecável de Kate Winslet, quanto os acentos indianos, japoneses e australianos deram o tom da festa, que consagrou Danny Boyle e seu ‘filme-sem-atores’ Quem quer ser um Milionário? com oito das dez indicações.
 
Os destaques da noite, entretanto, ficaram para o fim da festa com as premiações de melhor ator e melhor atriz. Sean Penn, que concorria com o ressurgido Mickey Rourke, acabou levando a estatueta por seu trabalho como o primeiro político declaradamente homossexual dos Estados Unidos, Harvey Milk. O filme, que concorreu mesmo sob os olhares conservadores da academia, também levou o prêmios de melhor Roteiro Original para o estreante Dustin Jason Black (?).
 
Na categoria melhor atriz, mesmo concorrendo com o fenômeno Meryl Streep (ao todo a atriz soma 15 indicações e 2 estatuetas), o prêmio ficou com a inglesa Kate Winslet. Após outras cinco indicações, a atriz venceu por O Leitor, apontado por muitos como obra feita para premiações – a referência ao nazismo costuma agradar bastante aos votantes do Oscar.
 
A cerimônia
Para quem esperava uma cerimônia tradicional, a 81ª edição da festa surpreendeu. Sai o tom humorístico dos apresentadores e entra Hugh Jackman, galã australiano com forte veia musical. O resultado é uma participação mais discreta do mestre de cerimônias, mas números de maior impacto, como o pout-pourri de musicais estrelado por ele, Beyoncé, Zac Efron, Vanessa Hudgens, Amanda Syefried e Dominic Coooper.
 
Outro aspecto que agradou bastante foi a presença de cinco agraciados em edições anteriores na premiação das 4 categorias de atuação. Coube a cada um deles homenagear os indicados, o que acabou criando uma atmosfera mais humana ao prêmio. Para conferir os resultados completos acesse o Cenas de Cinema, da leitora e fonte de inspiração @tchuly.

One response

  1. Cecilia Barroso

    Eita! Sou eu… :$

    Quando acabou a premiação pensei justamente isso. Dos prêmios de maior destaque, só Sean Penn e Dustin Lace Black (o roteirista de Milk) são estadunidenses.

    Ingleses, australianos, japoneses, espanhóis e indianos marcaram presença. E eu achei lindo!

    Beijos

    28/02/2009 às 5:09 PM

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s