Dúvida



Todo ano, na época das premiações, começam a aparecer as críticas da imprensa aos filmes que possivelmente podem ser indicados. Alguns filmes que, devido à temática ou mesmo a sinopse em si, não chamariam a atenção do grande público pela impressão passada, de “filme difícil”. E “Dúvida” é um desses filmes.
Escrito e dirigido por John Patrick Shanley (o mesmo que escreveu o roteiro de Congo), baseado na peça teatral também de sua autoria, o filme se passa em 1964, quando a sociedade americana passava por grandes mudanças sociais; a maior delas foi a promulgação dos Direitos Civis e o fim da segregação racial em lugares públicos, ou seja, não haveria mais a divisão entre brancos e negros.
É nessa premissa que uma escola católica tradicional aceita seu primeiro aluno negro. O colégio tem como reitora a Irmã Aloysius Beauvier (Meryl Streep, de “Mamma Mia!”, numa atuação extremamente marcante, pra variar…), que se baseia na disciplina rígida e no medo dos alunos para manter a ordem no estabelecimento.
Os problemas começam quando a inocente e doce Irmã James (papel de Amy Adams, de “Encantada“, fazendo mais um papel “fofo e inocente”… quando a veremos num papel de vilã?) compartilha com a irmã Aloysius sua suspeita de que o padre Flynn (Philip Seymour-Hoffman, ganhador do Oscar por “Capote“), extremamente carismático e que, de certa forma, incomoda muito os mais conservadores, está dando atenção de mais para o novo aluno negro, Donald (Joseph Foster II), faz a Irmã querer investigar a fundo essa história e ver até onde vai esse profundo interesse do padre pelo garoto.
A tensão se estende pelo filme todo. Muitas vezes o expectador fica confuso em escolher em quem acreditar: no padre bondoso que, pelo que parece, somente quer ajudar um menino carente de atenção ou na Irmã que parece estar de perseguição com algo que a incomoda, cuja reviravolta só aparece na conversa da Irmã Aloysius com a mãe de Donald (pequena participação de Viola Davis, mas que teve tanto impacto que lhe rendeu a indicação de Melhor Atriz Coadjuvante).

One response

  1. vini_freak

    A Amy Adams fez o papel da bitch em Segundas Intenções 2, mas obviamente não chegou nem aos pés da Sarah Michelle Gellar (que fez o 1).
    Dúvida é muito bom, assisti ontem mesmo, fiquei com vontade de ver a peça, deve ser até mais interessante.

    09/03/2009 às 10:24 PM

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s