Quem quer ser um milionário?

Ele ganhou o prêmio máximo e foi o maior vencedor da noite do Oscar desse ano. Aos olhos da academia, Slumdog Milionaire – ‘traduzido’ como Quem Quer Ser um Milionário? – é o filme do ano que passou. Ou será apenas um bom projeto que nasceu na hora certa?
Slumdog, com direção de Danny Boyle, vem na onda do crescimento de Bollywood – a fábrica de filmes indiana – e constrói um conto de fadas moderno. Jamal é um jovem pobre indiano apaixonado por Latika, que ele conheceu durante uma tragédia na infância dos dois. Suas vidas vão se cruzando ao longo de uma série de sofrimentos para ambos e sempre reafirmando o amor entre eles. O vilão que atrapalha os planos de Jamal de maneira voluntária ou não é Salim, irmão do protagonista.
Romantismo a parte, Slumdog mostra com crueldade uma Índia sem elefantes e macaquinhos pelas ruas, mas com gente, muita gente. Esqueça as castas e as tatuagens de henna e qualquer coisa da moda indiana que assola o Brasil hoje. Boyle mostra uma periferia cruel, muito parecida, aliás, com periferias das maiores cidades do mundo. E desse contraste, entre a pobreza indiana e a beleza do amor verdadeiro que o filme se constrói.
A amarração do roteiro e da edição, ambos vencedores do Oscar, ajudam bastante a envolver e emocionar. O grande eixo é o jogo televisivo que dá nome à versão tupiniquim. Cada uma das perguntas feitas a Jamal remete a um fato de sua história, em ordem perfeitamente cronológica. O que poderia soar forçado acaba criando a expectativa por saber como a resposta se liga à vida das personagens e envolvendo o espectador.
Filme sem grandes nomes na atuação – apesar de Freida Pinto, a Latika, já ter sido escalada para o novo filme de Woody Allen – Slumdog não tem a cara da Academia como Benjamin Button, por exemplo. Entretanto, inova e traz uma nova cara à premiação, o que por si só já é positivo. Entretanto, os méritos do filme vão além o que fazem dele, se não uma obra com a cara da academia, pelo menos um filme inesquecível. Afinal de contas, quem se lembra de O Paciente Inglês, melhor filme de 1997?

One response

  1. Cynthia Xavier

    De, assisti ontem ao filme. Adorei!Achei a fotografia sensacional, mas preciso confessar que por diversas vezes me senti assistindo Cidade de Deus…hehe… achei a “dinamica” muito parecida…rs…

    14/04/2009 às 12:31 AM

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s