Marido por acaso

Reúna um elenco incrível: Jeffrey Dean Morgan, astro recente graças a sua participação em Grey´s Antomy e ao papel de Comediante, na adaptação da HQ Watchmen; Colin Firth, astro inglês de quem sou fã assumido, e Uma Thurman, a musa de Tarantino. Coloque os três em uma comédia romântica com TODOS os elementos do gênero. O resultado? Um filme incômodo e mal encaixado. Esse é Marido Por Acaso.
O enredo, básico, conta a história de Emma, conselheira sentimental em um programa de rádio as vésperas do casamento com o editor do livro feito com base no programa. Emma e Richard, o editor, vivem uma relação impecável com apenas um ou outro desvio, como a compulsão por comida de Richard nos momentos de ansiedade. Toda essa normalidade é abalada após a noiva de Patrick, o bombeiro vivido por Dean Morgan, ligar para o programa de Emma e decidir acabar tudo.
Patrick, como vingança, consegue invadir o sistema de informações do Estado De Nova York e muda o status da conselheira, que passa a ser casada com ele. A partir disso, mesmo com as incríveis diferenças entre eles, o final é óbvio, como qualquer comédia romântica.
Os problemas são: a química entre os atores é péssima. Nenhum casal se encaixa e Firth e Dean Morgan parecem seres de planetas distintos contracenando (aliás, é visível o desconforto de Firth no papel). Toda a ação que motiva o filme e o surgimento do relacionamento acontece rápido demais. Com isso, o espectador não tem tempo de enxergar a crise de Patrick e seu desejo de vingança. Ela simplesmente surge ali.
Ponto bastante negativo é a família indiana de Patrick. Completamente deslocada na obra, parece uma alegoria incluída com o propósito de incluir musicas na trilha sonora e talvez pelo interesse surgido no país após Slumdog Milionaire. Jeffrey Dean Morgan destoa tanto naquele ambiente que, em momento algum, é explicado o grau de parentesco dele com os demais atores.
Por fim, pelo menos no Brasil, o filme deu o azar de ser lançado muito próximo de A Proposta. Sandra Bullock demonstra um timing muito melhor para esse timo de filme que Uma Thurman e Ryan Reynolds, sem sombra de dúvidas, é um galã muito mais interessante que Jeffrey Dean Morgan.
Marido por Acaso, em resumo, é uma grande confusão com um elenco que, individualmente é genial, mas que, junto, virou um filme que não arranca uma risada sincera do público.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s