Oscar 2010 – Melhor Figurino

Damos início aqui aos posts sobre os indicados ao Oscar 2010 com os devidos comentários sobre as indicações. A primeira categoria é a de figurino, que destaca pricipalmente as produções históricas, sempre preocupadas com os detalhes ára garatnir a verossimilhança. Este ano, ainda com um filme sobre Coco Chanel, o figurino não pode ser desvalorizado.

Os indicados:

Brilho de uma Paixão

Jane Campion, de “Piano”, regressa às produções cinematográficas com Bright Star. O filme trata-se de uma história biográfica do escritor John Keats e suas correspondências apaixonadas para Fanny Brawne, sua vizinha, no início do século XIX. Apesar de terem muito pouco em comum, eles iniciam uma inesperada mas duradoura amizade que rapidamente se transforma num amor sem limites, que tem a poesia como linguagem principal.

Coco Antes de Chanel

Audrey Tatou vive Gabrielle “Coco” Chanel, no filme que conta a história da famosa estilista, desde o momento que ela é deixada com a irmã no orfanato, passando pela época em que se torna cantora de cabaré e depois costureira, onde descobre a paixão pela moda e cria uma das marcas mais imponentes da história da alta costura. Uma rebelde que considera as convenções de sua época opressoras e prefere usar as roupas dos homens com quem se envolve, e não se apaixona por eles.

O Imaginário do Dr. Parnassus

Dr.Parnassus (Christopher Plummer) é um contador de histórias que juntamente com seu grupo de teatro viaja pelo mundo realizando apresentações, mostrando ao público um mundo totalmente novo e imaginário através de um espelho mágico que fica no meio de seu palco. Em troca da imortalidade acaba fazendo um pacto com Nick (Tom Waits), que é o diabo, em que promete sua filha quando ela completasse 16 anos, caso tivesse uma. Tony (Heath Ledger), o novo integrante da companhia de teatro tenta ajudar Parnassus a desfazer esse contrato, e salvar Valentina (Lily Cole), a filha dele.

Nine

Rob Marshall traz para os cinemas o novo musical sensação de Hollywood. Nine é baseado e 8 ½ , filme autobigráfico de Federico Fellini, e conta os conflitos da vida de Guido Contini (Daniel Day-Lewis), um cineasta, rodeado de mulheres que definem seus caminhos, como Stephanie (Kate Hudson); Luisa Contini, sua esposa (Marion Cottilard); Carla, sua amante (Penelope Cruz), sua musa (Nicole Kidman), sua mãe (Sophia Loren) e a prostituta que o iniciou (vivida por Fergie). Uma lista caprichada.

A Jovem Victoria

“The Young Victoria” é do diretor canadense Jean-Marc Vallée, e busca trazer a história até então pouco conhecida dos anos da juventude da Rainha Vitória, do Reino Unido, uma das monarcas mais imponentes da história mundial. Emily Blunt, a secretária ambiciosa de “O Diabo Veste Prada”, se sai muito bem no papel. É inevitável comparar sua história com a de Elizabeth: menina inocente cresce à margem de imensas intrigas palacianas, deve enfrentar conspirações internas para subir ao trono e nele se manter, além de, finalmente, definir o que fazer com sua vida amorosa.

2 responses

  1. cinebuteco

    Huuum, difícil escolher o melhor!!! Todos estão muito bem… Mas se eu pudesse votar, seria para Coco Chanel… é um filme basicamente sobre figurino… mostra cenas de costuras…deveria ser premiado!

    04/02/2010 às 11:58 AM

  2. André Sobreiro

    Posso dar tiro no escuro e escolher Parnassus? Achei que o figurino do Chanel, apesar da história, bonito mas esperava mais…

    Já os filmes do Gilliam tendem a ser bem lindos e fantásticos e Dr. Parnassus aparentemente segue forte essa linha!

    04/02/2010 às 12:22 PM

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s