A Festa da Menina Morta

O ator Matheus Nachtergaele já se consagrou como alguém bastante talentoso para o grande público. Com alguns papéis secundários na TV e alguns de destaque no cinema, como Auto da Compadecida, Nachtergaele decidiu investir na direção com A Festa da Menina Morta, em exibição no Festival Sesc Melhores Filmes 2010.

O filme, conta dois dias na de Santinho, um jovem que recebeu os restos do vestido de uma menina morta na selva amazônica e, desde então, é encarado como santo por supostamente ouvir a menina e seus recados. Uma vez por ano, uma festa religiosa acontece para homenagear Santinho e a Menina.

Essa situação, que acontece em pleno interior do Amazonas, brinda o espectador com uma demonstração do mais completo sincretismo religioso ao combinar elementos da cultura indígena, umbandista, católica de maneira bastante intensa.

E é em torno desse sincretismo que se constrói uma obra bastante visceral. O elenco do filme alterna nomes desconhecidos do público com grandes nomes. Protagonizando a obra, Daniel de Oliveira aparece como Santinho e, mais uma vez aponta os motivos de ser um dos maiores nomes de sua idade no país. Sua interpretação é carregada, incômoda e o trabalho de voz e corpo o coloca perfeitamente no papel de um menino extremamente protegido e bastante frágil. A seu lado, Jackson Antunes vive seu pai, abandonado pela esposa, mulherengo e alcoólatra. A dupla, aliás, protagoniza algumas das mais incômodas cenas graças à sua relação de dependência extrema.

Visualmente poluído, com muitas cores e formas, A Festa da Menina Morta abusa da câmera autoral. Por muitas vezes no filme, a sensação que dá é que o diretor possuía apenas uma câmera na mão e perseguia vidas reais, em tom de documentação.

Apesar de toda sua força, A Festa da Menina Morta peca, porém, no excesso. A sensação ao sair do cinema é a de que estamos diante de um filme hermético demais e algumas cenas e situações só fazem real sentido para seu diretor e para quem ele contou. Ainda assim, um filme bastante bonito e brasileiro sem recorrer aos tradicionais nordeste pobre ou favelas das grandes cidade. Uma ótima estreia de Matheus.

O Festival Cinesesc vai até o dia 28. Para saber mais informações, clique aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s